Ringo Starr

07 de julho de 2013, por Editorial
Natural de Liverpool, Reino Unido, como Richard Starkey Jr, o baterista e ex-Beatles nasceu no dia 7 de julho de 1940. Com 15 anos trabalhava de entregador e barman, quando ganhou uma bateria do padrasto, e logo aprendeu a tocar.

Passou por várias bandas até se fixar no grupo Alan Caldwell's Texans - banda que em 1959 passou a se chamar Rory Storm & The Hurricanes - mesmo período em que ficou conhecido o pseudônimo de Ringo Starr. A banda que ficou bastante conhecida no cenário, tocando constantemente em clubes de Liverpool, onde também atuavam os Beatles.

Ringo fez amizade com John Lennon, Paul McCartney e George Harrison, com quem se juntaria em 1962. No lugar de do baterista Pete Best, Ringo Starr, foi convidado pelo produtor George Martin, que já cuidava dos compromissos da banda. Casou-se em 1965 com Maurren Cox, com quem teve três filhos, mas acabou se separando. Em 1975 casou-se novamente com a atriz "bond-girl" Bárbara Bach.

Músico, baterista, multi-instrumentista, cantor, compositor e ator, ficou nos Beatles até a separação do grupo em 1970. Também cantou sucessos da - como em, "With a Little Help from My Friends" e "Yellow Submarine", como co-autor em "What Goes On" e compôs "Don't Pass Me By" e "Octopus's Garden".

Com sua extensa biografia, e que não para de crescer, Ringo, que hoje é inclusive tema de exposição, livros e está sempre ligado a várias atividades, ainda se arriscou no mundo das artes cênicas. Participando dos filmes musicais dos Beatles, Ringo ingressou no cinema e televisão, onde ficou três décadas atuando em filmes como em "Candy" (1968), "The Magic Christian" (1969), "200 Motels" (1971), "Born to Boogie" (1972), "Son of Dracula" (1974), "Lisztomania" (1975), "Caveman" (1981), "Give my Regards to Broadstreet" (1984), "To the North of Katmandu" (1986), entre outros.

Com o fim dos Beatles em 1970, começou sua carreira solo e teve, entre outros projetos, a banda "All Starr Band", na ativa desde 1989. Hoje aos 56 anos, com o fim do grupo dos 'quatro rapazes de Liverpool', gravou discos de 1970 a 2008. Na década de 70, teve lançamentos quase que de ano a ano, com "Sentimental Journey" e "Beaucoup of Blues" em 70; "Ringo" em 73, "Goodnight Vienna" em 74, "Blast From Your Past" um ano depois, "Ringo's Rotogravure" em 1976, seguindo em 77 pelo disco "Ringo IV", em 78 por "Scouse the Mouse" e "Bad Boy" em 1978.

Depois, na  década de 80, gravou "Stop and Smell the Roses" (1981), "Old Wave" (1983), "Starr Struck: Best of Ringo Starr Vol. #2" (1989), "Time Takes Time" (1992), "Vertical Man" (1998), "VH1 Storytellers" (1998), "I Want to Be Santa Claus" (1999), "The Anthology... So Far" (2001), "Ringo Rama" (2003), "Tour 2003" (2004), "Choose Love" (2005), "Liverpool 8" (2008).

Com a All Starr Band, lançou "Ringo Starr and ‘His' All-Starr Band", volume 1, em 1990 e, volume 2, "Live From Montreux" em 1993. Depois gravou "Ringo Starr and His 'third' All-Starr Band, em 1995, "King Biscuit Flower Hour Presents - Ringo & His 'New' All-Starr Band" de 2002 e, o último, "Ringo Starr ‘and' Friends" em 2006. Sempre famoso, é conhecido pelo estilo simples mas seguro de tocar e, pela originalidade, em 2011, foi eleito o 4º maior baterista de todos os tempos pela revista Rolling Stone.

Comentários

Veja também: Todas as biografias