Dom Famularo bate um papo com o Batera.com.br

11 de junho de 2012, por Site Batera e Nina Pará
Dom Famularo é um dos bateristas mais conhecidos em todo o mundo. Professor de bateria, autor e palestrante motivacional, reside em Long Island, Nova York. Começou a tocar quando tinha 11 anos e tornou-se um profissional aos 12. Estudou com alguns dos maiores bateristas do século XX, incluindo Jim Chapin e Joe Morello. Logo se tornou um educador tendo como alunos alguns dos mais bem sucedidos bateristas, do jazz ao rock. Chamado de Embaixador Global da Bateria, devido aos muitos lugares que visitou e ministrou masterclasses e clínicas. Entre os países visitados podemos destacar os Estados Unidos, Canadá, Colômbia, México, Brasil, Chile, Argentina, Uruguai, Peru, Inglaterra, Irlanda, Escócia, França, Alemanha, Bélgica, Holanda, Luxemburgo, Áustria, Suíça, Portugal, Espanha, Noruega, Suécia, Polônia, Sérvia, Grécia, Itália, Hungria, Costa Rica, Honduras, Porto Rico, China, Hong Kong, Japão, Taiwan, Filipinas, Malásia, Indonésia, Singapura, Austrália, Nova Zelândia, Turquia, Israel, Ilhas Canárias e África do Sul.

Em meio a uma agenda movimentadíssima, Dom separou um tempo para um bate papo exclusivo com o Batera.com.br. Acompanhe.


Site Batera: O livro The Cycle of Self-Empowerment é um ótimo livro motivacional! Quando e por que você teve a ideia de começar a escrevê-lo?

Dom Famularo: Sempre me perguntam as mesmas questões em todo o mundo. Os músicos têm os mesmos desafios, não importa o lugar. O conceito de “Self Empowerment” precisava ser explicado e colocado em prática. Eu me orgulho cada vez mais com as histórias de pessoas dos 20 países onde o livro está sendo vendido... Incrível!

Site Batera: Você tem vários livros didáticos lançados em parceria com outros bateristas (Joe Bergamini, Stephane Chamberland, Claus Hessler, etc.). Até onde sabemos, "It's Your Move", "Weaker Side", "Pedal Control", "Eight-Notes Rock and Beyond", "Drumset Duets", "Open-Handed Playing" and "Groove Facility". Você pode nos falar um pouco mais sobre cada livro, em especial sobre o novo Groove Facility? Estudando cada um desses livros quais habilidades o baterista irá melhorar?

Dom Famularo: Eu só escrevo os livros que eu vejo que o mundo dos bateristas precisa. Nas minhas viagens encontro muitos bateristas, com os quais eu converso e também me fazem perguntas. Essa é a informação que eu uso para escrever os livros. Me desejo é realmente ajudar os bateristas.

“It’s Your Move” foi meu primeiro livro sobre técnica. O desafio mais importante para nos dar as ferramentas para nos expressarmos.

”The Weaker Side” foi escrito em conjunto com Stephane Chamberland e tem o foco em desenvolver o nosso lado mais fraco, igualando-o com o mais forte, tanto para as mãos quanto para os pés!

“Pedal Control” foi escrito com Joe Bergamini e é um estudo para os pés. Ter um bom controle do pedal é essencial para a execução da música do século XXI!

“Eight-Notes Rock and Beyond” foi escrito juntamente com Glen Ceglia e é um livro de grooves que nos prepara para o Rock!

“Drumset Duets”, escrito com Stephane Chamberland, é sobre aprender a “sentir”. Dois sets de bateria tocados juntos com seu professor, com um amigo, ou com o CD que vem junto com o livro.

“Open-Handed Playing 1 e 2” foi escrito juntamente com Claus Hessler. O livro mostra como usar seu lado mais fraco para ter mais criatividade e liberdade no seu kit.

“Groove Facility” foi escrito com Rob Hirons. É uma ferramenta fundamental para entender como um groove é estruturado.

Essas informações vão te auxiliar em qualquer outro livro. Cada livro é um processo necessário para descobrir a diversão que é tocar bateria e expandir seu talento!

Site Batera: Como estudante, o que você mais valoriza em um professor? E como professor, o que você mais valoriza em um estudante?

Dom Famularo: Como estudante eu quero ser inspirado a me divertir e abrir minha criatividade. Como professor eu quero levar o aluno a uma viagem pessoal e musical de descobertas.

Site Batera: Na sua opinião o que a internet trouxe de positivo e negativo em relação à educação musical? 

Dom Famularo: Totalmente positiva! Eu gostaria de ter tido essa oportunidade na minha fase de aprendizado. Como usá-la que é o desafio. Existe muita informação boa para usar e se divertir. Eu estou on line todos os dias!

Site Batera: Quando você se deu conta que você é professor de muitos bateristas pelo mundo? Por favor, conte-nos mais sobre como você faz isso, e como a internet ajuda a fazer isso acontecer.

Dom Famularo: Eu sou abençoado por ter guiado vários grandes talentos. Sou inspirado todos os dias. Cada aluno é diferente e precisa de um caminho especial para entender sua habilidade. Eu tenho mais de 100 alunos que viajam até mim e mais de 100 que eu ensino pelo skype. Que experiência divertida!

Site Batera: Existem muitos estudantes que têm um desafio ao organizar seu tempo para estudar, especialmente aqueles que têm pouco tempo para praticar. O que você recomenda para eles? Focar em algum tema específico?

Dom Famularo: É muito importante começar tendo o objetivo final em mente. Então, saiba aonde você quer chegar e estabeleça um plano. Continue no seu plano até ver os resultados. Pode ser somente um ou mais assuntos. No caso dos meus alunos, nós costumamos conversar antes para definir o plano.

Site Batera: Existem muitas pessoas que se sentem desanimadas por viverem em pequenas cidades, longe dos grandes centros de cultura, onde está o suporte para a atividade musical. Como se manter motivado nesses casos?

Dom Famularo: O mundo está muito menor com a internet. Agora você pode morar em qualquer lugar e ter aulas com os melhores. Eu ensino através do skype para alunos em pequenas cidades e isso me espanta todo dia! O entusiasmo estará lá se você alcançá-lo, tocá-lo e senti-lo!

Site Batera: O que é o “feeling” para você na música, na bateria?

Dom Famularo: É tocar o “groove certo...” Ver a plateia ficar entusiasmada, sentir a emoção, ficar triste e gritar, tudo de uma vez! Wow! Esse é o momento em que todos naquele espaço se tornam um!

Site Batera: O que você acha que seria o perfeito equilíbrio entre tocar com feeling e ser técnico? Seu conhecimento e experiência pode nos dizer. Você acha que estudar teoria musical e técnica pode ajudar um baterista a tocar com mais feeling? Por quê?

Dom Famularo: Técnica é uma ferramenta. Quanto mais você entender a ferramenta, melhores serão suas ideias e resultados! Eu tenho um martelo e arrumo minha casa... Eu adoro meu martelo, mas quando as pessoas vêm até minha casa, elas nunca elogiam meu martelo. Elas vão dizer “que quarto bonito”, mas nunca vão pedir para ver o martelo... A técnica é o seu martelo. As pessoas vão dizer “Wow, você fez eu me sentir ótimo”! O quanto mais você souber e entender, mais você alcançará as pessoas e não pensará na técnica!

Site Batera: O que você gosta de ouvir atualmente, que tipo de música, que artistas?

Dom Famularo: Eu adoro ouvir as músicas dos meus alunos. Isso me inspira... rock, jazz, latin, funk, heavy metal, clássica, marching... Eu gosto de ouvir todas as línguas e todos os estilos de música. Isso tudo me faz ser uma pessoa melhor, com mais compaixão e emoção... Essa é a verdadeira jornada!
Veja também: Todas as entrevistas